Algumas otimizações levam tempo para serem feitas e tempo para vermos os resultados. Outras, não. E é dessas que vamos falar aqui hoje: das otimizações simples com resultados rápidos, também conhecidas como Low-hanging Fruit.

Mas, o que é Low-hanging Fruit? Essa é uma expressão usada para definir coisas óbvias ou simples que podem ser feitas ou tratadas com mais facilidade para alcançar o sucesso ou progredir em direção a um objetivo

No contexto de mídia paga, dizer que algo é Low-hanging Fruit é o mesmo que dizer que com pequenas otimizações, podemos ter grandes resultados

Quase como um pareto, no qual o seu esforço para otimizar a campanha é de 20% enquanto o resultado é de 80%. E, muitas vezes, essas otimizações são uma mão na roda para atingir resultados ainda melhores com suas campanhas no Meta Ads.

Isso porque elas são rápidas e práticas, e você percebe o impacto dessas ações quase que imediatamente. 

E por essas otimizações serem tão importantes para você no seu dia a dia trabalhando com Meta Ads, vamos levantar as seguintes otimizações e descrever cada uma delas:

  • Verificação de sobreposição de públicos;
  • Frequência dos anúncios;
  • Filtro de posicionamento de anúncio;
  • Filtro de dispositivo de anúncio.

Agora, vamos entender o que são e por que você deve olhar com carinho para essas otimizações.

Vamos lá?

Verificação de sobreposição de públicos

No Meta Ads, assim como no Google Ads, a gente compete no leilão para que nossos anúncios apareçam. Para isso, definimos os públicos para as nossas campanhas e também definimos o leilão.

O que acontece é que, às vezes, ao criar anúncios, podemos acabar definindo públicos que se sobrepõem entre si, gerando assim uma competição no leilão que encarece os custos da sua campanha.

Esse aumento de custo se deve justamente porque seus anúncios estão competindo entre si no leilão para que possam entregar para públicos sobrepostos. Ou seja, acabamos pagando duas vezes pelo mesmo público, o que não é eficiente. 

Mas, o que são públicos sobrepostos?

Vamos supor que temos um público A, que possui interesses em marketing digital, e um público B, com interesses em estratégias de marketing. Tais públicos podem ter alguma diferença, mas, no geral, são parecidos. 

Afinal, quem tem interesse em marketing digital tende a ter interesse em estratégias de marketing, porque são interesses que se correlacionam. 

O bom é que o Meta Ads faz essa sobreposição conforme você define o público selecionado e o público de comparação. 

Para saber quando vale ou não a pena trabalhar com a junção ou não de públicos sobrepostos, vamos pensar em dois exemplos.

No primeiro exemplo, temos um Público Semelhante de Tempo Gasto sendo comparado com Públicos Semelhantes de Remarketing em diferentes níveis de semelhança.

Se formos rodar o Semelhante de Tempo Gasto (neste caso, o Público selecionado) juntos com os Públicos para comparação, não vai ter problema. Porque a sobreposição entre eles é pequena, logo, vamos atingir pessoas majoritariamente diferentes. 

Nesse caso, trabalhamos com esses públicos separadamente

Agora, se a sobreposição for mais de 50%, vale mais juntar os dois públicos em um só.

Veja que nesse segundo exemplo, a sobreposição é de 88% do público selecionado em relação ao público para comparação. Aqui, convém fazer a junção desses públicos para que eles não compitam entre si no leilão e aumentem nosso custo.

O próprio Meta te avisa quando há sobreposição de públicos e você pode criar regras automatizadas que reduzem a sobreposição no leilão. Aí, você define qual ação a plataforma executa em caso de públicos sobrepostos:

  • Desativar conjuntos de anúncios com sobreposição
  • Somente enviar uma notificação 
  • Desativar conjuntos de anúncios com sobreposição e aumentar o orçamento para os conjuntos de anúncios restantes

É válido lembrar também que um número menor do que 1.000 pessoas é insuficiente para a plataforma considerar o percentual de sobreposição. 

Enfim, verificar a sobreposição dos públicos que você está trabalhando é bastante importante, independente de sua origem, porque pode ser que públicos Lookalike e públicos de interesse tenham um pouco das mesmas pessoas.

Essa otimização pode ser usada para qualquer objetivo de campanha que você tenha e para qualquer etapa de funil. Afinal, em todo caso você precisa ter assertividade na hora de definir públicos que performam e que não competem entre si.

Frequência de anúncios

No Meta Ads, você pode configurar uma estimativa de quantas vezes os seus anúncios são apresentados ao seu público-alvo

Determinar a frequência certa dos seus anúncios pode aumentar o alcance dele e gerar mais conversões.

E, para saber qual a frequência certa, a melhor resposta para isso é: teste e chegue às conclusões.

Porém, se olharmos para cada contexto de funil e negócio, temos como tirar algumas ideias do que funciona melhor ou não. 

No que diz respeito ao funil de vendas, de forma geral, quanto mais o lead avança no funil, maior a frequência de anúncios.

Suponhamos que você esteja trabalhando com uma campanha para cada etapa do funil: uma para o topo, outra para o meio e a última para fundo. Dentro de 7 dias, você tem a seguinte estratégia:

  • Mostrar 2 vezes os anúncios para o público de topo
  • Mostrar 3 vezes os anúncios para o público de meio
  • Mostrar 4 ou mais vezes os anúncios para o público de fundo

Essas frequências são coerentes, já que quanto mais o lead avança no funil, mais propenso à conversão ele está. E mostrar os anúncios certos na hora certa faz toda diferença.

Por exemplo, se você tem uma promoção de Black Friday, quanto maior for a sua frequência de anúncios, mais as chances das pessoas verem essa promoção e, consequentemente, comprarem da loja. 

Por isso, quando falamos em tipo de negócios, no B2C, ou seja, quando o público-alvo é o cliente final, definir uma frequência alta para os anúncios funciona bem. 

Já para empresas que vendem para empresas, B2B, pode ser mais interessante uma frequência menor, porque existe uma consideração maior vindo desse público e impactá-lo com anúncios repetidas e repetidas vezes pode espanar um potencial lead.

E, por falar nisso, uma frequência muito alta até mesmo para públicos mais fundo de funil e B2C pode se tornar o contrário de otimização. 

É por isso que, para saber se os efeitos de aumentar ou diminuir a quantidade de vezes que seus anúncios aparecem são positivos ou negativos, você precisa acompanhar os resultados e o diagnóstico da relevância dos anúncios.

Porém uma boa saída para que os leads não tenham uma exaustão publicitária com a frequência demasiada dos mesmos anúncios é testar novos criativos.

Então, muito mais do que a frequência isoladamente, temos que nos certificar de que a qualidade do criativo é boa e que conversa bem com o seu público-alvo. 

Uma dica também é ter uma alta rotatividade de anúncios, assim, a frequência não será exaustiva para o seu target.

Mas, cuidado, se caso você pesar a mão na frequência, o Meta Ads te recomenda parar de rodar os anúncios por fadiga.

Vamos recapitular como você pode otimizar seus anúncios com a frequência, olhando para todo o cenário:

  • Identifique em qual etapa do funil o seu público-alvo está;
  • Entenda qual o tipo de negócio;
  • Garanta que os criativos se comuniquem bem com seu público-alvo;
  • Faça testes A/B de criativos (elementos, copywriting, cores, etc).

Essa última dica é útil não só para encontrar a melhor performance do seu anúncio, mas também quando você quer manter a essência do anúncio rodando uma versão mais fresca e diferente, para não fadigar seu público-alvo. 

Com os ajustes de frequência de anúncios, você pode ver o resultado de dois a três dias depois das modificações.

Filtros de locais de publicação

Os locais de publicação definem o posicionamento dos seus anúncios. Ou seja, onde eles aparecem nas redes sociais do Meta:

  • Feeds do Facebook e Instagram;
  • Stories do Facebook, Instagram e Messenger;
  • Coluna da direita do Facebook;
  • Marketplace do Facebook;
  • Explorar do Instagram;
  • Loja do Instagram;
  • Caixa de entrada do Messenger;
  • Reels do Instagram;
  • Entre outros.

O pulo do gato é que você pode filtrar onde o seu conjunto de anúncios aparece.

Por padrão, deixamos todos os formatos selecionados e, mais uma vez, monitorar a performance de cada local em que seu anúncio está é fundamental.

Aqui, não tenha medo de testar quais posicionamentos mais funcionam para a sua campanha, pensando no negócio e no comportamento do seu público-alvo. 

Imagine, por exemplo, que a marca dos seus anúncios atua com produtos bastante visuais e que podem gerar desejo instantâneo. Nesse caso, os formatos de vídeo, imagens e marketplace fazem mais sentido que posicionar seus anúncios na caixa de entrada do Messenger. 

Você concorda? 

E, claro - vamos repetir porque teste é rei em terra de mídia paga -, explore as alternativas e avalie resultado x investimento. Assim, você pode tomar a decisão de onde exibir seus anúncios com mais assertividade.

Filtro de Dispositivo

Da mesma forma que é possível filtrar o local dos seus anúncios no Meta, você pode filtrar em quais dispositivos faz sentido exibir sua campanha.

No entanto, em primeiro lugar, para saber filtrar você precisa saber quais dispositivos estão realmente funcionando para o seu conjunto de anúncios.

O chamado Dispositivo de Impressão mostra de onde o seu público foi impactado pelo seu anúncio e o legal é que você pode filtrar por dispositivo para analisar os resultados de cada um.

Por exemplo, você pode descobrir que o CTR dos seus anúncios que aparecem no iPhone 11 é maior do que no iPhone 7.

Ou, pode descobrir que mobile em geral não traz tantos leads qualificados quanto o desktop.

“Tá, mas como selecionar os dispositivos em que eu quero que os meus anúncios apareçam?”

Na criação da campanha, você pode fazer essa seleção de dois jeitos: um mais genérico e outro mais específico. Vamos te contar os dois.

A primeira opção é , ao criar uma campanha, você acessa o Direcionamento detalhado e seleciona os dispositivos que você deseja. Para todos os exemplos a seguir, vamos supor que o seu público-alvo seja de alta renda e utilize, majoritariamente, iPhone.

Certamente, esse público tem os últimos modelos lançados de iPhone, então você pode selecionar todos os últimos lançamentos do dispositivo. 

Porém, como o próprio Meta Ads avisa, isso não quer dizer que a pessoa vai ver seu anúncio ou que ela sequer tem aquele dispositivo.

No final das contas, você pode estar sendo pouco específico no direcionamento.

Na segunda opção, temos o Posicionamento da campanha, no qual você define o posicionamento como manual e clica em “mostrar mais opções”.

Você vai se deparar com uma série de filtros mais específicos para você definir, como:

  • Dispositivos móveis e sistemas operacionais específicos;
  • Dispositivos incluídos;
  • Dispositivos excluídos.

Ou seja, você pode ser bastante assertivo ao definir todos esses filtros.

Trazendo aquele exemplo para cá, você consegue selecionar o sistema operacional sendo somente iOS e os últimos modelos de iPhone, excluindo os que você não deseja - como modelos inferiores ao iPhone 11. 

Afinal, esse público já não faz parte do nível de aquisição do público que compra da marca.

Falando em tipo de negócio, temos uma tendência de negócios B2B verem anúncios mais pelo desktop e B2C mais pelo mobile. Mas, atenção, não é uma regra.

Voltando para o início da conversa, analise constantemente as métricas como investimento, CTR, resultados, para poder brincar com testes variados. 

Dependendo dos números, pode ser também que você decida que não vale a pena fazer campanhas separadas por dispositivo. 

Conclusão

As Low-hanging Fruit citadas neste texto propõem otimizações que parecem bobas mas que podem converter mais. São formas de encontrar o melhor caminho para atingir seus resultados

A grande vantagem dessas otimizações é que são fáceis e rápidas de configurar. E, caso você tenha receio de fazer tais alterações por medo de mexer na estrutura da conta, dá pra começar com testes de público menor, que não estão performando muito bem. 

Aí, à medida em que você ganha confiança, pode ir aumentando esse público e testando em mais campanhas.  

O tempo em que os resultados demoram ou não para vir depende do investimento feito e do modelo de negócio. Pois se o ciclo de vendas for de um mês, não adianta esperar que as vendas aumentem da noite para o dia, não é verdade?

Mas, a nossa consideração final mais importante é: não dá pra esquecer de fazer o feijão com arroz bem feito. O que queremos dizer é que você precisa ter um público bem definido, bons criativos e uma gestão contínua das campanhas impecável

Porque, se não tivermos isso bem feito, dificilmente estratégias secundárias ou mais complexas serão eficazes. 

Antes de ir embora

Quer saber mais sobre como aplicar boas estratégias? Segue a gente no Instagram.

Quer nos ajudar a compartilhar mais conhecimento? Compartilhe esse texto!

Nós queremos ajudar empresas a obterem mais sucesso com seus anúncios pagos a partir de decisões mais inteligentes e sua ajuda é muito importante para nós.

Se você trabalha com Mídia Paga e quer conhecer mais sobre a Traktor, ficaremos felizes em conversar com você! Conheça nossas vagas disponíveis.

Está precisando de uma ajuda com suas mídias? Converse com nosso consultor e receba um Diagnóstico de Mídia para a sua empresa.

Theo Neves e Mariana Sanches

Mariana escreve os textos da Traktor e Theo é Analista de Mídias e responsável pela parte técnica deste texto.